Mídia Programática - tudo o que você precisa saber:

O que é a mídia programática?

Anúncios sendo exibidos às pessoas certas e no momento mais adequado. Compra de publicidade por meio de plataformas online com nenhuma (ou pouquíssima) mediação de pessoas durante a negociação entre o anunciante e o veículo. De modo geral, esta é a proposta de mídia programática.

Diferente da aquisição de publicidade na mídia tradicional, em que o valor é determinado pelo canal no qual o anúncio é veiculado, na mídia programática é possível comprar diretamente o perfil do público desejado - e não uma suposta audiência presumida.

Através de um dashboard (painel de controle), é possível controlar todo o processo. O próprio anunciante realiza a segmentação do público-alvo do seu interesse, fazendo também o upload das peças e o lance no leilão de compra de espaços. Depois, é com a própria ferramenta, que se encarrega de fazer o restante do trabalho. O processo, de ponta a ponta, é completamente automatizado por softwares específicos.

A mídia programática é uma nova forma inovadora de comprar anúncios online, assim como o Google AdWords e o Facebook Ads, que trouxe automatização, eficiência e inteligência ao processo de aquisição de publicidade. A sua chegada revolucionou o mercado e vem transformando o modo como as empresas se comunicam com os seus consumidores e públicos estratégicos de interesse.

Crescimento do mercado:

Nos últimos anos, o mercado de mídia programática se desenvolveu bastante em terras brasileiras. Pela primeira vez, um estudo da IAB Brasil mensurou os investimentos na área em um relatório anual divulgado em 2016. De acordo com o estudo, a mídia programática movimentou naquele ano R$ 1,9 bilhão – o valor representa 16,5% dos investimentos em anúncios digitais. Este, no entanto, é apenas o começo. A expectativa é que os investimentos em mídia programática no Brasil fiquem acima dos dois dígitos ao longo dos próximos anos.

Benefícios da Mídia Programática

  • Maior assertividade e precisão: a propaganda impacta apenas o público desejado, no momento mais apropriado.
  • Menor valor: o preço do espaço publicitário é fixado pela capacidade do anúncio em gerar resultados efetivos.
  • Monitoramento aprimorado: na mídia programática é possível saber com precisão a abrangência de uma campanha: a quantidade de visualizações do anúncio, o número de cliques ou o volume de leads gerados.
  • Melhor gestão do budget: nessa modalidade de anúncios é maior a chance de encontrar o espaço mais adequado ao orçamento do anunciante.
  • Otimização do tempo: os esforços destinados para identificar espaços e valores mais adequados à campanha podem ser otimizados em ações mais produtivas, otimizando o tempo das equipes de marketing e vendas.

Quais os formatos e ferramentas de mídia programática?

A aquisição de mídia programática pode ser realizada por meio de diversos formatos de negociações: Custo por View (CPV), Custo por Clique (CPC), Custo por Mil impressões (COM), Custo por Lead (CPL), Custo por Aquisição (CPA) e Custo por Download (CPD). Todos eles, no entanto, são negociados por meio de leilões.

Assim como na mídia tradicional, cada formato possui benefícios e desvantagens. A grande diferença da mídia programática, no entanto, está na forma de aquisição dos anúncios, que podem ser de duas maneiras:

Através de mídia de reserva, em que o anunciante “encomenda” um inventário junto ao publisher, estabelecendo uma rede personalizada de anúncios. Ou por meio de ferramentas “Demand Side Platform” (DSP), em que se adquirem inventários de todos os veículos relevantes para os propósitos da campanha - e que estejam conectados à plataforma.

Na primeira modalidade, a aquisição de mídia possui um valor fixo e normalmente se paga o número de impressões da peça, que, em geral, é estabelecida em CPV (no caso de vídeos) ou em CPC/CPM (quando a campanha é em banners). Já na segunda, a compra pode ser realizada através de um leilão, em que o anunciante concorre com outros, podendo adquirir todos os formatos.

Então, resumidamente, a segunda modalidade se aplica o seguinte processo: existe uma mesa de compra de mídia (Trading Desk) composta por especialistas que muitas vezes fazem parte das agências. Eles comandam a compra dos espaços e também otimizam as campanhas. No próximo passo, eles usarão uma DSP para acessar os inventários através de Ad Exchanges, que funciona como um mercado aberto para comprar e vender anúncios.

Como aplicar a mídia programática em campanhas?

Antes da aquisição da mídia programática, é imprescindível estabelecer os objetivos estratégicos da campanha e quais formatos serão utilizados: display, social, vídeo e mobile. Além disso, é importante levar em consideração no planejamento da campanha qual o seu objetivo, o público-alvo que deseja atingir e impactar. Definir sua mensagem, fazendo com que ela seja a certa e exata para aquele momento.

Como a mídia programática pode ajudar sua empresa?

todas as empresas. É muito recomendada para aumentar o reconhecimento e despertar o desejo de compra dos usuários, incrementando também o fluxo no site de pessoas com o perfil dos consumidores do anunciante.

Com uma estratégia bem estruturada, a mídia programática também consegue auxiliar na performance, gerando leads ou vendas. Isso porque ela impacta consumidores que dão sinais — pela navegação, como os cookies e pixels — de interesse em comprar determinado produto ou serviço, o que pode ser trabalhando com retargeting nas campanhas de mídia paga.

A mídia programática é mais que uma tendência

Mais que uma simples moda, a mídia programática já é uma realidade consolidada. O seu crescimento deve aumentar consideravelmente nos próximos anos. Investir em formatos de publicidade mais assertivos é um dos passos que empresas de todos os tamanhos podem dar para atingir públicos certos no momento mais apropriado.

A mídia programática é uma tendência que veio para ficar. Essa forma de comprar anúncios de forma automatizada e orientada por dados já é realidade no digital e em alguns anos deve se tornar a forma padrão de comprar mídia no Brasil.

Apesar de parecer bastante complexa e inacessível em um primeiro momento, a programática já é uma estratégia bastante democrática — tanto em termos de investimento quanto em acesso de informações e auxílio para o planejamento.

É possível contar com parceiros e tecnologias que auxiliarão a sua empresa a desbravar esse novo universo do Marketing Digital, além de complementar sua estratégia de Mídia Paga para Inbound Marketing para ir além de Google AdWords e Facebook Ads.

PPor meio de dados disponibilizados pelas próprias ferramentas, novos insights são gerados a todo o momento. Informações que aprimoram não apenas a veiculação de campanhas específicas, mas todo o processo de comunicação. Procure conhecer mais afundo sobre o assunto e seus termos com profissionais qualificados e ferramentas avançadas. Desta forma, as vantagens são inúmeras e entre elas haverá uma redução de erros, geram-se resultados mais assertivos e se conquista mais escala. Ganham os veículos. Mas ganham, principalmente, os anunciantes.

A mídia programática já faz parte da estratégia de Marketing Digital da sua empresa? Se você está atrás de um modelo para trabalhar de forma ainda mais eficiente os seus anúncios e automatizar os seus processos, preencha nosso formulário e converse com um de nossos especialistas!

consultor de marketing

Fale agora com um Consultor Especialista
em Marketing Digital