WhatsApp
Selo Abradi

O funil E-commerce é um modelo aplicado ao marketing que visa investigar a trajetória dos consumidores que navegam na internet a fim de analisar por quais etapas eles passam até que a compra seja concretizada na loja virtual.

Porém, para além de analisar a trajetória daqueles que efetivamente compram, o funil E-commerce identifica quais fatores colaboram para que a venda seja feita e quais colaboram para a dispersão dos clientes, ou seja, quando buscam o produto, mas não compram. Fácil de entender, não é?

A função do modelo funil consiste em entender o que faz com que os clientes comprem no e-commerce e, com essa informação, investir em estratégias para que o caminho até a venda seja feito de forma mais fácil e natural.

E também entender o que faz com que os clientes não comprem no e-commerce, e, assim, investir em estratégias para eliminar os obstáculos e incentivá-los a terminar seu percurso como compradores, ou seja, finalizar a venda.

Nesse texto vamos mostrar para você como funciona as etapas do funil e como você pode aplicar isso.

Algumas etapas do funil E-commerce

É comum a crença de que o funil E-commerce começa e termina na loja virtual em si, porém isso não é verdade.

Ao mapear o comportamento dos internautas é possível identificar alguns padrões que culminam na compra de produtos, por isso é preciso pensar grande.

Vamos citar um exemplo: Qual caminho é percorrido por um internauta que realiza uma compra em uma loja virtual de cosméticos? Para responder essa pergunta não basta analisar o que e por que o cliente comprou, mas também como ele chegou até o e-commerce.

Por isso, é preciso ter mente que para compreender essa trajetória devem ser levados em consideração não apenas o momento em que o site é acessado, mas também o antes e depois.

Então, o funil E-commerce pode ser dividido em 3 partes. São elas:

1. Boca do funil ou antes de chegar ao e-commerce

A não ser que a loja virtual seja muito conhecida e já tenha forte nome no mercado, a probabilidade maior é a de que o cliente tenha chegado até ela através de pesquisas feitas, principalmente, em buscadores, como Baidu, Qwant e, o mais famoso deles, Google.

Logo, para ‘levar’ o cliente até seu site é preciso que ele seja visto pelos internautas.

Você deve se perguntar: e como fazer isso? Bom, aí as respostas são inúmeras, como colocá-lo nas primeiras opções de resultado de buscadores, criar anúncios em redes sociais, uso de palavras-chaves, etc.

Para essa finalidade, as técnicas de SEO (Search Engine Optimization) são de grande ajuda, afinal através de conteúdos interessantes disponibilizados na rede e que contenham as palavras-chaves pesquisadas pelos usuários é mais fácil atrai-los para a loja virtual.

Essa etapa também é importante para direcionar as ações de marketing, afinal, na internet, todos são clientes potenciais, mas não necessariamente da sua empresa.

Logo, para quem é melhor anunciar: para qualquer um ou para aqueles que se interessam por seus produtos?

Assim, para identificar quem está interessado nos produtos do e-commerce de maquiagem, por exemplo, é preciso observar o comportamento dos internautas: buscas mais frequentes, páginas acessadas (como canais de tutorial de maquiagem), compartilhamentos feitos, etc.

2. Meio do funil ou a chegada ao e-commerce

Pronto, você criou conteúdos atrativos, pesquisou palavras-chaves, elaborou e veiculou anúncios e o cliente finalmente está navegando em sua loja virtual. E agora, como fazer para converter o interesse em um produto numa venda concreta?

Para isso, alguns dados divulgados pela Birdie sobre Hábitos de Compra do Consumidor Online são de grande valia:

De acordo com a pesquisa, quase 80% dos internautas já deixaram de comprar em lojas virtuais em virtude da má qualidade das informações no site, dificuldade em localizar os produtos ou porque a página não lhes inspirou confiança.

Por isso, é preciso fazer descrições claras sobre os produtos, formas de pagamento, frete e envio, políticas de troca, dentre outros temas relevantes ao consumidor. Além de criar sites organizados, com aparência profissional e tags para facilitar a localização dos produtos.

A pesquisa da Birdie também demonstrou o que é determinante ao consumidor na hora de comprar, as respostas foram: presença de fotos (60%), avaliação de outros consumidores (69%), informações técnicas (74%) e descrição do produto (76%).

3. Fim do funil ou a finalização da compra

Sabe quando o cliente olha os produtos, seleciona, coloca no carrinho, vai até a área de pagamento e então aperta o x e sai da página? Pois é, apesar de triste para os donos de e-commerce, esse é um cenário recorrente e é preciso saber como revertê-lo.

Assim, fazer melhorias no site, facilitar a localização dos botões, oferecer novas formas de pagamento, enviar cupons de desconto e lembretes no e-mail do cliente são apenas algumas das estratégias que podem ser efetivadas com grande sucesso.

Aplicando as técnicas com profissionalismo>

Como pode ser observado, o funil E-commerce é um modelo voltado ao mapeamento do comportamento dos consumidores antes mesmo de chegar à loja virtual e ele demanda tempo e dedicação para identificar a trajetória dos clientes e criar estratégias que os impulsionem.

Por isso, firmar parceria com uma agência de marketing digital é o melhor caminho para por em prática essa e outras ações, como a Agência 242, eleita a melhor do ano pela ABRADI-SP e com equipe de profissionais altamente qualificados.

Na Agência 242 você pode acompanhar em tempo real todas as ações implementadas por meio de relatórios e métricas de desempenho, que são transformados em indicadores e norteiam as ações de marketing para garantir seu alcance e êxito.

consultor de marketing

Fale agora com um Consultor Especialista
em Marketing Digital